O QUE É O NATURALISMO

O naturalismo foi um movimento no qual compreendeu a literatura, as artes plásticas e o teatro no século XIX. Ele surgiu na França e é uma ramificação do Realismo, e a maior característica artística era a retratação da realidade da sociedade da forma que ela é.

obra naturalista

O surgimento do naturalismo se deu a partir da publicação da obra literária Germinal do artista Émile Zola. O livro mostrava a realidade dos trabalhadores e as péssimas condições de trabalho nas minas de carvão no interior da França.

Um dos grandes cuidados dos artistas do naturalismo é a relação entre o homem e as forças da natureza. O movimento teve influências bem fortes da teoria de Charles Darwin e outras correntes de pensamentos que percorriam pela Europa, com o socialismo e o positivismo.

Dessa forma, as pessoas passaram a ser analisadas a partir dos seus comportamentos, ou seja, a partir de seus desejos físicos e sexuais e suas características fisiológicas e naturais. Além de também serem considerados a sua agressividade e o seu lado animalesco.

Segundo os pensamentos naturalistas, as ideias de Darwin sobre a seleção natural foi um grande fator no qual motivava as transformações das espécies. Ou seja, o homem passou a ser considerado um produto biológico (material) e chegou até ser comparado com animais (zoomorfização).

De acordo com os naturalistas, o ser humano não possui livre-arbítrio, além disso, eles consideravam o homem como uma máquina que era guiada pelas leis físicas e químicas, pela questão hereditária e pela sociedade.

CARACTERÍSTICAS DO NATURALISMO

Os naturalistas abordavam a questão do cientificismo exagerado, ou seja, a transformação do homem em material. Em que o narrador se torna um “cientista” e passa a observar o meio social e as relações como se fosse uma experiência científica.

Outra característica bem forte do naturalismo, já falada anteriormente, é a influência que teve da teoria do evolucionismo, de Darwin. E também, a abordagem de temas mais polêmicos como adultério, incesto, homossexualidade, crimes, e muitos outros.

Já nas artes plásticas, uma característica muito forte era a forma como pintavam suas obras com base no que observavam. De uma maneira geral, eles reproduziam paisagens naturais e cenas do cotidiano real.

A linguagem utilizada na literatura era simples e coloquial. Eles procuravam ser o mais objetivos possíveis. E, sobretudo, tinham o desejo de fazer uma reforma na sociedade.

NATURALISMO NO BRASIL

O naturalismo chegou no Brasil no final do século XIX e teve como marco inicial o romance do naturalista Aluísio Azevedo chamado O Mulato . Os escritores brasileiros destacavam em suas obras a diferenciação e realidade social, preconceito e a vida dos brasileiros que moravam em cortiços.

Aluísio Azevedo

O autor nasceu em 1857 no Maranhão e foi consagrado um dos maiores naturalistas do país. Quando ele publicou “O Mulato”, gerou muito escândalo naquela época, afinal ele escreveu sobre temas que não eram abordados até então.

Ao falar sobre o racismo e a corrupção dos padres ele iniciou o movimento naturalista no Brasil. Além dessa obra, há também um livro que ficou muito mais famoso e trouxe reconhecimento mundial para o autor. A obra O Cortiço teve maior destaque, pois narrou sobre um ambiente social degradado e sem estrutura, no qual os personagens eram prostitutas, operários, lavadeiras, além de apresentar a parte marginalizada da sociedade.

 

naturalismo o cortiço

Um trecho do livro O Cortiço:

“Naquela mulata estava o grande mistério, a síntese das impressões que ele recebeu chegando aqui: ela era a luz ardente do meio-dia; (…) ela era a cobra verde e traiçoeira, a lagarta viscosa, a muriçoca doida, que esvoaçava havia muito tempo em torno do corpo dele, assanhando-lhe os desejos, acordando-lhe as fibras embambecidas pela saudade da terra, picando-lhe as artérias, para lhe cuspir dentro do sangue uma centelha daquele amor setentrional, uma nota daquela música feita de gemidos de prazer, uma larva daquela nuvem de cantáridas que zumbiam em torno da Rita Baiana e espalhavam-se pelo ar numa fosforescência afrodisíaca.”

Principais obras naturalistas: O mulato, Casa de pensão, O homem, O cortiço, O coruja.

Adolfo Caminha

O escritor cearense também foi um dos grandes nomes do naturalismo brasileiro. Nasceu em 1867 e abordava em sua escrita a crítica da vida urbana de Fortaleza. Sua obra naturalista que ficou mais conhecida foi A Normalista.

O autor faleceu de tuberculose com apenas 30 anos e deixou um romance inacabado.

Obras naturalistas: A Normalista e O bom crioulo.

Inglês de Sousa

Nascido em 1853 no Rio de Janeiro, Inglês de Sousa foi professor, advogado, político, jornalista e escritor. Ele também foi considerado como introdutor do naturalismo literário no país, porém os seus romances não tiveram muita repercussão.

As publicações mais conhecidas foram O Cacaulista e História de um Pescador. Suas obras tinham o enfoque no homem amazônico, sobretudo, a paisagem e o exotismo da região amazônica.

Ele deixou a literatura em 1918 e segundo o jornal O País, ele faleceu com “um dos maiores acompanhamentos que há na memória”.

Principais obras: O Cauculista, História de um Pescador, O Coronel Sangrado, O Missionário, Contos Amazônicos, etc.

 

Pintores norte americanos que merecem ser estudados

A pintura, independente de qual seja, sempre foi uma das expressões artísticas mais apreciadas da história da humanidade. Dentre diversos artistas, alguns se destacam, marcam épocas, estilos e gerações. E assim, ganham muita notoriedade e merecem ser estudados.

Os Estados Unidos é uma das maiores referências para novos pintores, afinal é um dos maiores centros produtores de pintura. Devido a isso, trouxemos alguns pintores norte americanos que merecem ser estudados.

arte americana

Edward Hopper

Hopper nasceu em 22 de julho de 1882, próximo à Nova Ioque (EUA). Foi um pintor urbano e realista na sociedade norte americana. E principalmente no pós-guerra, ela valorizava o ufanismo e a grandiosidade. Edward Hopper andava contra a corrente e escolhia temas diferentes do comum.

Ele pintava figuras humanas em espaços praticamente vazios, ou seja, eram situações que evocavam sentimentos de tristeza e solidão. As cenas eram sob perspectivas nas quais lembravam muito as convenções do cinema e do teatro.

Hopper era um artista que retratava o realismo, no entanto não fazia uma tradução literal ou mimética da realidade, mas sim interpretava. Ele se tornou popular por pintar seres humanos e suas figuras solitárias, que sugeririam a dor da solidão.

O realismo de Hopper flagra e capta o interior das figuras humanas em ambientes como porta do cinema, tomando sol, em um quarto de hotel, etc. Elas demonstram melancolia e um silêncio que se associa a paisagem.

Ele faleceu em 1967, com 85 anos.

Jackson Pollock

O norte americano, Jackson Pollock, nasceu em 1912 e foi um grande pintor do expressionismo abstrato. Ele foi um dos pioneiros desse movimento artístico que surgiu na década de 1940 nos Estados Unidos.

Em suas pinturas ele usava a técnica do action painting, que era caracterizada por ter movimentos em velocidade. E também utilizava técnicas de gotejamento.

Ele aplicava a tinta de forma espontânea em suas obras, o que fez com que se tornasse cada vez mais surrealista e abstrato. Utilizava esmaltes e tintas para alumínio, e optava por cores variadas em suas obras.

Ele faleceu em 1956 e deixou um grande legado no expressionismo abstrato norte americano.

Burton Silverman

Silverman é um pintor que nasceu em Nova Iorque, em 1928. O trabalho dele é concentrado na “paisagem do rosto humano”. Ele se mantém fiel à pintura realista até hoje.

Ao longo dos anos, Burton Silverman, tem inspirado e orientado muitas pessoas, tanto com seus ensinamentos quanto com a sua pintura. Ele possui um ateliê em Manhattan, onde recebe muitos aprendizes, em cursos e em workshops que oferece.

Como pintor retratista, ele recebe ao longo dos anos muitas encomendas. Além de trabalhar com aquarela, ele também utiliza óleo, carvão ou simplesmente lápis-grafite em suas pinturas. Já participou de várias exposições coletivas e mais de 30 individuais, tanto nos EUA quanto no exterior.

Silverman ao longo de sua vida sempre esteve ligado aos acontecimentos do seu mundo e fazendo suas representações diretas e realistas da vida urbana no cotidiano. Com certeza o legado dele irá sobreviver, afinal sua forma de pensar inspira inúmeros alunos e artistas.

Jasper Johns

O pintor, escultor e gravurista, Jasper Johns, nasceu em 1930 e foi um grande precursor da arte pop. O norte americano foi protagonista de um período da arte do século XX que provocou rupturas que até hoje estão pautadas no pensamento contemporâneo. A arte de Johns pertence ao Neo-dadaísmo, Pop Art e a Arte Conceitual.

O pintor mostrava um ponto de vista diferente e novo sobre a vulgaridade, tendo como finalidade a transformação de um objeto em algo completamente diferente do que é originalmente. Em suas obras figuram-se símbolos populares em um aglomerado de pigmento ou cera e se resultam em trabalhos que parecem sair das telas.

Uma das suas obras mais conhecidas foi a Flag de 1954. Ela foi criada em uma época em que a bandeira norte americana estava sendo estampada em jornais do país, enaltecendo o patriotismo.

Grant Wood

Grant DeVolson Wood foi um famoso pintor norte americano que nasceu em 1891. Ele ficou conhecido por representar a vida rural americana em suas pinturas. E se tornou um dos maiores representantes do regionalismo americano.

O melhor de sua obra era a produção final, especialmente a partir da década de 1930, no qual representou personagens de âmbito rural de Iowa. Suas pinturas desse pequeno são caracterizadas por zonas rurais onde os trabalhadores tratados parecem paisagens austeras e estilizadas.

O seu estilo de linhas rígidas, firmemente delineadas e modeladas, foi inspirado no Gótico e nos mestres primitivos do Renascimento. A composição de Wood, Gótico Americano, tem sido utilizado para diversas sátiras à vida rural ou mesmo citadina dos americanos, assim como é hoje tido como um ícone artístico, conhecido a nível mundial.

Ele faleceu em 1942.

pintor americano

Estudar pintores de outra nação é muito importante para aumentar a nossa bagagem cultural. É necessário conhecer sobre nosso país, porém é preciso conhecer também outra cultura e artistas de outros lugares.